quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Clarissa Corrêa...

"Sempre acreditei que as palavras são muito poderosas. E inventei uma lei: quem fala esquece, quem ouve não esquece. Na hora da raiva a gente fala pelos cotovelos o que dá na telha. Depois que a poeira baixa é que vamos perceber que fizemos muito barulho por nada. E tudo aquilo que saiu da boca atingiu o outro de alguma forma. Não dá pra voltar atrás, por isso a gente precisa tomar o máximo de cuidado para não ferir com poucas letrinhas juntas."

Nenhum comentário: