terça-feira, 19 de janeiro de 2010




Deus abençõe esses ventos noturnos,

Que outra personalidade evocam.

Essa outra mulher, em mim, me toca

Nos pensamentos escuros, soturnos.


Ai, meu Deus perdoe esse ser noturno!

Por onde delírios, em mim, se soltam.

E urdindo profanas idéias provoca

O sentimento profuso, gatuno.


Ai, meu Deus perdoe essa mulher louca!

Que se entrega a um prazer oculto.

Por onde entra, deixa sombra e vulto,

Quando passa, venta noturna e solta.


Deus abençõe esses ventos noturnos,

Que me sopram quentes, e desembocam

No rosicler raio solar que desfoca

Essa mulher de pensamentos difusos...

Escusos...

(Elisa Maria Gasparini Torres)

Nenhum comentário: