sexta-feira, 1 de abril de 2011

Prova de amor...


Seu Antônio e dona Maria não tinham filhos e moravam sozinhos

Numa Casa muito humilde de Madeira. Mas viviam tranqüilos e felizes, pois se amavam muito.
Certo dia, aconteceu um grave acidente com dona Maria. Ela estava fazendo suas tarefas em Casa, quando começou a pegar fogo na cozinha.
Dona Maria queimou várias partes de seu corpo. Seu Antônio foi socorrê-la e também se queimou. Mas pouco.
Os dois foram levados para o hospital mais próximo.
Após algum tempo, seu Antônio, que foi menos atingido pelo fogo, saiu DA UTI e foi ver dona Maria, que ainda estava sobre tratamento intensivo.
Dona Maria estava lúcida, e sabendo que foi muito queimada, perdeu a vontade de continuar vivendo, pois não queria viver toda deformada, já que as chamas atingiram muito o seu rosto.
Seu Antônio chegou bem perto de dona Maria, pegou a mão dela, mas ficou calado. Dona Maria, porém, perguntou carinhosamente:
- Tudo bem com você, meu amor?
Seu Antônio respondeu:
- Sim. Pena que o fogo atingiu meus olhos e eu não posso mais enxergar. Mas fique tranqüila, minha querida, porque a sua beleza está gravada em meu coração para sempre.
Dona Maria, emocionada, falou para o marido:
- Deus vendo tudo o que aconteceu, meu amor, te deixou sem visão
Para que você não visse a minha deformidade. O fogo queimou todo o meu rosto e fiquei parecendo um monstro.
O tempo passou. Seu Antônio e dona Maria voltaram para Casa, onde ela fazia tudo para ele, e não se cansava de declarar seu amor ao marido.
E, assim viveram vinte anos até que dona Maria morreu.
No dia do enterro de dona Maria, quando todos se despediam, seu Antônio, tirou OS óculos escuros e largou a bengala que tinha usado por tantos anos. Ele chegou bem perto do caixão, deu um beijo no rosto de dona Maria, ficou acariciando sua pele deformada pelas queimaduras, e mesmo sabendo que a esposa não mais o ouvia, disse com toda a sua paixão:
- Maria, meu amor, como você é Linda! Eu te amo muito!
Ao ver aquela cena, um amigo de seu Antônio, que estava do lado dele, perguntou:
- Antônio, meu amigo, é um milagre? Você voltou a enxergar?
Seu Antônio olhou bem nos olhos daquele amigo e respondeu:
- Eu nunca estive cego, apenas fingia para minha amada esposa.
Quando a vi toda queimada, sabia que seria difícil para ela continuar vivendo daquela maneira. E assim, resolvi fazer de conta que estava cego para que ela continuasse feliz ao meu lado. E fomos vivendo felizes até hoje. Foram mais vinte anos de felicidade e amor!
(Desconheço o autor)

Um comentário:

Vivi Martins disse...

Emocionante ...amor de verdade