quarta-feira, 9 de junho de 2010

Sobre Castelos e Demolições...(Serpente Angel)


Em quantas vezes somos testados?
Onde é o limite de nossa capacidade?
Quantas perdas afetivas nos fazem querer a morte?
Muitas vezes matamos aquilo que mais amamos para não morrer...
Até que ponto somos fortes?
Até onde vai a nossa capacidade de perdoar?
Até onde somos capazes de nos reconstruir-mos?
Dar a volta por cima e reerguer novos castelos...
Até que ponto conhecemos a verdadeira história de cada rosto?
Qual a essência por trás de cada palavra?
Por qual motivo?
O que de fato é apenas poesia?
Ou quem sabe meras palavras...
Onde começam a sangrar as palavras para estancar ou reerguer cada um destes?
Até que ponto podemos minar,extirpar,reduzir,construir ou esmagar alguém com as nossas palavras?
Que lições tomar de cada dia que surge?
O que somos?
O que eu sou?
O que tu és?
Até que ponto podemos demolir ou ajudar a construir o castelo desse outro que mal sabemos?

Um comentário:

Quinca disse...

Que saudade... Maior ainda de ouvir essas belas palavras ao som da tua voz... VOcê sabe que é uma amiga única!!! Espero que estejam bem por aí... Parabéns pelo post, pois está lindo!!! Bjus