quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Aves e Almas...(Fé Bahá'í)

As metáforas, conforme certa vez definiu um poeta,são pontes poéticas que o amor constrói...e que fazem ligação entre coisas e conceitos.
As escrituras sagradas das diferentes tradições religiosas
não raramente lançam mão de metáforas para tornar mais claro o entendimento das verdades do mundo espiritual.
Metáforas_ pontes poéticas que o Amor constrói e que fazem ligação entre coisas e conceitos.
E dentre as metáforas poéticas que os versos sagrados utilizam, uma das mais belas é uma passagem dos textos da Fé Bahá’í... que compara o corpo físico a uma gaiola, e o espírito a uma ave que nela habita.“Imaginar que o espírito pereça ao morrer o corpo, é como imaginar que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola.”
“Nosso corpo é apenas a gaiola, enquanto o espírito é o pássaro.Nada tem o pássaro que recear, porém com a destruição da gaiola.”
A morte física_ um mergulho no infinito, a hora de voar...
O suave vôo das aves é uma metáfora visual a nos sussurrar que a alma é livre das limitações impostas pela matéria.
Uma metáfora visual e poética que se revela aos que se dispõem a enxergar além do que os olhos podem.
Uma metáfora.
E ao deslizar pelo céu, as aves nos recordam dos nossos entes queridos que já partiram.
Todos os que deixaram para trás este mundo de provações e caminhadas,sonos e vigílias, noites e dias, esperanças...
E as aves nos recordam ainda que em breve também chegará a nossa hora de voar.
Da força das asas depende a altura a que se pode chegar.O Corpo, frágil argila, sofre os efeitos do tempo.A Alma puro sopro, é eterna.
Aproveitar os nossos breves e incertos dias para alimentar a nossa alma com coisas boas.
Uma dieta espiritual farta de Amor e Bondade, Caridade, Pureza, Compaixão, Perdão e Justiça.Virtudes, Gratidão, Bem-Aventuranças.De modo que, quando a hora derradeira bater á nossa porta, possamos voar e com asas limpas e puras
até as mais sublimes alturas.

Nenhum comentário: