segunda-feira, 3 de maio de 2010


... Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim. E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres, porque a ausência assimilada, ninguém a rouba mais de mim. [ Carlos Drummond de Andrade ]

2 comentários:

Quinca disse...

Breve, sincero e íntimo... Parabéns pelo post!!! Adorei!!! BJus

Vivian disse...

Obrigada meu querido...saudades!!Bjaum!!