quarta-feira, 8 de julho de 2015

"Acerca do infinito, do Universo e dos Mundos"


"Se eu manejasse um arado,
cultivasse uma horta, 
remendasse uma veste, 
ninguém me daria atenção,
poucos me observariam, 
raras pessoas me censurariam
e eu poderia facilmente agradar a todos.
Mas, por ser eu delineador do campo da natureza,
por estar preocupado com o alimento da alma, 
interessado pela cultura do espírito
e dedicado à atividade do intelecto,
eis que os visados me ameaçam,
os observados me assaltam,
os atingidos me mordem, 
os desmascarados me devoram.
E não é só um, não são poucos, 
são muitos, são quase todos."

(Giordano Bruno - Itália (1548-1600))

Nenhum comentário: