quinta-feira, 18 de outubro de 2012



''O amor não é prazer, o amor não é o desejo. Quando há amor, não há imagem. O amor é um estado de ser, e nesse estado, o "eu", com suas identificações, ansiedades e posses, está ausente. O amor não pode ser, desde que as atividades do ego,
 do "eu", consciente ou inconsciente, continuar a existir. É por isso que é importante para entender o processo do auto, o centro de reconhecimento, que é o 'eu'. O amor não é da mente, não é na rede de pensamento, que não pode ser procurada, cultivada, estimada, é lá quando a mente está em silêncio e o coração está vazio das coisas da mente.''
Jiddu Krishnamurti

Nenhum comentário: